quinta-feira, 26 de junho de 2014

Suárez leva maior gancho da história das Copas: nove jogos após mordida

 - Atualizado em 

Atacante não joga mais no Mundial e está banido por quatro meses de qualquer 

atividade ligada ao futebol. Suspensão vale a partir do jogo contra a Colômbia

Por Rio de Janeiro
Comente agora
Luis Suárez surpreendeu o mundo do futebol ao voltar aos gramados menos de um mês após operar o joelho. Em um período menor ainda, ele jogou por terra a chance pela qual lutou de forma tão árdua. A mordida em Chiellini no confronto com a Itália acarretou uma suspensão por nove jogos, além de ser banido por quatro meses de qualquer atividade ligada ao futebol. É o maior gancho da história da Copa do Mundo. O "recorde" anterior era do italiano Mauro Tassotti, suspenso por oito partidas por ter quebrado o nariz de Luis Henrique, da Espanha, em 1994.

Segundo comunicado da Fifa, Suárez fica proibido de frequentar estádios durante a Copa e terá de cumprir os nove jogos de suspensão em jogos oficiais da seleção uruguaia. De acordo com a chefe de comunicação da entidade, Delia Fischer, após os quatro meses Suárez poderá disputar amistosos com a seleção e atuar normalmente pelo Liverpool, seu clube na Inglaterra. As transferências, entretanto, não são afetadas por esse banimento por quatro meses.
Fora da Copa do Mundo, o jogador uruguaio pode recorrer e, em circunstâncias especiais, o julgamento pode ocorrer até sábado. Porém, de acordo com o artigo 124 do Código Disciplinar da Fifa, o efeito suspensivo do recurso só é aplicável ao pagamento da multa de 100 mil francos suíços (cerca de R$ 250.000). A punição já vale para a partida das oitavas de final, entre Uruguai e Colômbia, sábado, no Maracanã. O Comitê Disciplinar enquadrou o jogador nos artigos 48 (conduta antidesportiva) e 57 (comportamento ofensivo e fair play) do código.  O afastamento de qualquer atividade relacionada ao futebol por quatro meses é regulada pelo artigo 22 do Código Disciplinar. 
Chiellini Suarez italia x uruguai (Foto: Reuters)Chiellini reclamou com árbitro, mas Suárez não foi expulso durante o jogo entre Itália e Uruguai (Foto: Reuters)


O lance da mordida em Chiellini aconteceu aos 35 minutos do segundo tempo. Depois de cruzamento na área, Suárez fingiu que disputaria a bola com o zagueiro, mas mordeu o ombro esquerdo do italiano. O árbitro mexicano Marco Rodríguez nada viu e não puniu o uruguaio.

Essa não é a primeira vez que Luis Suárez está envolvido em um caso de mordida em um companheiro de profissão. Quando ainda jogava pelo Ajax, da Holanda, o uruguaio mordeu o atacante Bakkal, do PSV, em 2010. No ano passado, o jogador do Uruguai repetiu o ato jogando pelo Liverpool contra o zagueiro sérvio Ivanovic, do Chelsea. Por ser reincidente, pegou dez jogos de suspensão. Todos os casos anteriores foram levados em consideração para a aplicação da pena.

- Esse comportamento não pode ser tolerado em nenhuma competição, muito menos na Copa, com os olhos do mundo voltados para a competição - afirmou Claudio Sulser, presidente do comitê disciplinar da Fifa, em comunicado lido no briefing diário promovido pela Fifa no auditório do Maracanã.
Liverpool emite comunicado
Clube pelo qual Suárez joga, o Liverpool, da Inglaterra, lançou uma declaração oficial, por meio do diretor executivo Ian Ayre, sobre a decisão do Comitê Disciplinar da Fifa sobre a punição. 

- O Liverpool vai esperar até vermos e analisarmos o relatório do Comitê antes de fazer qualquer outro comentário - afirmou o dirigente.
De acordo com o jornal uruguaio "Ovación", a estratégia de defesa dos uruguaios baseou-se na argumentação de que não houve mordida, mas apenas um choque casual de jogo, sem poder precisar exatamente se no ombro, na nuca ou no pescoço do defensor italiano. Além disso, a defesa sugeriu que o defensor italiano já tinha uma lesão no ombro. 
Ainda segundo a publicação uruguaia, foram apresentados vídeos, fotos e textos jurídicos para defender o jogador, que ficou em Natal e não deu qualquer tipo de declaração. Já o diário “El Observador” informou que uma carta de 17 páginas foi apresentada ao tribunal.

Nada disso, porém, serviu para convencer o comitê formado por 19 integrantes, muitos deles de países sem grande tradição no futebol. O presidente é o suíço Claudio Susler, o vice é Kia Tong Lim, de Singapura. E os demais são de Venezuela, Paraguai, Congo, Estados Unidos, África do Sul, Argélia, Eslovênia, Irlanda do Norte, Tonga, Equador, Panamá, Ilhas Cayman, Ilhas Cook, Paquistão, Suécia e Austrália.
Fonte: G1

terça-feira, 17 de junho de 2014

MINISTRO DO STF JOAQUIM BARBOSA PASSA O COMANDO PARA MINISTRO LUIS ROBERTO BARROSO.

Barroso é o novo relator das execuções penais do mensalão

Ministro vai assumir no lugar de Barbosa, que anunciou saída da função.
Barbosa disse que deixou a relatoria por causa de postura de advogados.

Mariana OliveiraDo G1, em Brasília
O ministro Luís Roberto Barroso foi sorteado pelo sistema eletrônico do Supremo Tribunal Federal (STF) como o novo relator das execuções penais do processo do mensalão. A redistribuição da relatoria ocorreu após o ministro Joaquim Barbosa ter anunciado, nesta terça (17), que deixaria a função.
Em despacho, o ministro Ricardo Lewandowski determinou que os processos fossem sorteados para outro ministro, excluindo Joaquim Barbosa. "Considerada a decisão supra, determino a livre distribuição dos autos. À Secretária para providências urgentes."
O relator tem a atribuição de decidir detalhes sobre o cumprimento das penas dos réus, como direito ao trabalho externo ou saída no feriado.
Barbosa era relator da ação penal 470, do mensalão do PT, desde 2005, quando a investigação chegou ao Supremo. Com a prisão dos condenados, o processo se encerrou, e se iniciou a fase da execução penal, ou seja do cumprimento das penas.
O novo relator será responsável por levar ao plenário do Supremo diversos recursos dos advogados dos réus contra decisão de Barbosa que revogou benefícios de trabalho externo.
O ministro Luís Roberto Barroso está em um evento em Nova York, onde discursou sobre o acesso à Justiça como uma das metas do milênio da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo o gabinete, ele chega ao Brasil na manhã desta quarta (18), para participar da sessão do Supremo. O ministro não deve levar os recursos dos condenados para julgamento nesta quarta porque deverá usar mais tempo para estudar o processo.
Justificativa para a saída
Barbosa já tinha anunciado há duas semanas que se aposentará do Supremo, mas informou que tomou a decisão de se afastar da relatoria porque os advogados dos condenados passaram a "atuar politicamente" e "até mesmo partindo para insultos pessoais".
Segundo Barbosa, os advogados "deixaram de se valer de argumentos jurídicos". "Passaram a atuar politicamente, na esfera pública, através de manifestos e até mesmo partindo para os insultos pessoais, via imprensa, contra este relator", disse na decisão de apenas uma página em que anuncia o afastamento da relatoria.
"Este modo de agir culminou, na última sessão plenária do Supremo Tribunal Federal, em ameaças contra a minha pessoa dirigidas pelo advogado do condenado José Genoino Neto, Dr. Luiz Fernando Pacheco [...], que, para tanto, fez uso indevido da tribuna, conforme se verifica nos registros de áudio e vídeo da sessão de 11 de junho de 2014", justificou Barbosa.
No início da sessão da última quarta (11), Barbosa mandou que seguranças retirassem o advogado Luiz Fernando Pacheco do plenário. Minutos antes, o criminalista, que comanda a defesa de Genoino, havia interrompido um julgamento para pedir que o Supremo discutisse recurso que pede que seu cliente deixe o presídio da Papuda, em Brasília, e volte para a prisão domiciliar.
O presidente do Supremo diz que protocolou uma representação criminal contra Pacheco no Ministério Público Federal do Distrito Federal em razão de "ameaças" do advogado, que "fez uso indevido da tribuna".
"Assim, julgo que a atitude juridicamente mais adequada neste momento é afastar-me da relatoria de todas as execuções penais oriundas da Ação Penal 470, e dos demais processos vinculados à mencionada ação penal."
Barbosa determinou que todos os processos sejam enviados ao vice-presidente do Supremo,Ricardo Lewandowski, para que seja definido quem será o novo relator.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

""O TEMPO PASSA, AS COISAS MUDAM, MAS, A IMAGEM DELES FICARÃO GRAVADAS PARA SEMPRE EM NOSSOS CORAÇÕES""OS NOSSOS HERÓIS FORAM ESQUECIDOS PELOS DIRIGENTES NA ABERTURA DA COPA DO MUNDO NO BRASIL.


Esportes

Brasil já perdeu 20 jogadores que foram campeões do mundo

Morte de Bellini durante a semana passada deixou a seleção brasileira que ganhou o primeiro título com apenas sete jogadores vivos

Geraldo De Cesaro
FLORIANÓPOLIS

Na semana passada, o Brasil perdeu o ex-zagueiro Bellini, capitão da seleção campeã do mundo em 1958, na Copa disputada na Suécia e que também ganhou o Mundial de 1962, realizado no Chile. Foi o primeiro brasileiro a erguer o troféu. Mauro, o capitão que levantou a taça na Copa de 1962, quando o Brasil chegou ao bicampeonato, morreu em 2002. Ao todo, já morreram 20 dos jogadores que ajudaram o Brasil a conquistar os cinco títulos mundiais (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002).

ANTONIO SCORZA/AFP/ND

Dos capitães dos três primeiros títulos, o Brasil já perdeu Bellini (à esq.) e Mauro (centro), que ergueram os troféus nas Copas do Mundo de 1958 e 1962, respectivamente


O primeiro jogador brasileiro campeão do mundo a morrer foi o lateral esquerdo Everaldo, tricampeão no México, em 1970, e que foi vítima de um acidente automobilístico, em 1974. Daquela seleção, também já nos deixaram o goleiro Félix, que foi titular na Copa, e o zagueiro reserva Fontana.
Da seleção de 1958, com a morte de Bellini na última quinta-feira, apenas sete campeões ainda estão vivos: Dino Sani, Moacir, Pelé, Zagallo, Mazzola, Zito e Pepe. Dos que foram campeões em 1958, 14 participaram do  bicampeonato no Chile: Castilho, Gilmar, Bellini, Djalma Santos, Nilton Santos, Didi, Zagallo, Zózimo, Garrincha, Pelé, Mauro, Zito, Vavá e Pepe.
Entre os campeões de 1962, e que não disputaram o Mundial de 1958, dois jogadores já morreram: Jurandir e Zequinha. Também já nos deixaram os dois técnicos que nos deram os primeiros títulos e que colocaram o Brasil junto com Uruguai e Itália, até então os únicos com dois títulos mundiais: Vicente Feola (em 1958) e Aymoré Moreira (em 1962). Em um país carente de ídolos, a morte de campeões mundiais deixa um vazio cada vez maior.

Quem já morreu
Campeões de 1958
Zózimo – 1977
Garrincha – 1983
Oreco – 1985
Castilho – 1987
Didi – 2001
Dida – 2002
Mauro – 2002
Vavá – 2002
Joel – 2003
Orlando – 2010
De Sordi – 2013
Djalma Santos – 2013
Gilmar – 2013
Nilton Sanos – 2013
Bellini – 2014

Campeões em 1962
Jurandir – 1996
Zequinha – 2009

Campeões em 1970
Everaldo – 1974
Fontana – 1980
Félix - 2012

» Tags: Brasil, Campeões, Capitães, Copas Do Mundo, Jogadores, Mortes,Técnicos

Fonte: G1

sábado, 14 de junho de 2014

ESTÁDIO DA AMAZÔNIA E DEMAIS ESTADOS ONDE SERÃO REALIZADOS OS JOGOS DA COPA DO MUNDO NO BRASIL.

Manaus

A localização da cidade de Manaus é uma de suas atrações mais notáveis​​, pois está situado na confluência dos rios Negro e Solimões (Rio Amazonas) . As águas de cor escura e barrentas dos seus rios fluem lado a lado por mais de 18kms sem se misturar, formando uma das paisagens mais majestosas da Amazônia. A combinação de beleza natural, as tradições locais e uma metrópole em ascensão confere uma atmosfera única à Manaus.

Todas as Sedes

Escolha a sua Sede:

EXPLORADORES DE TURISTAS NO RIO DE JANEIRO SÃO COIBIDOS PELA FISCALIZAÇÃO.

Flanelinhas são detidos por cobrar R$ 50 por hora de motoristas no Rio

Ação ocorreu no acesso ao trem do Corcovado, no Cosme Velho.
Até as 11h, oito pessoas foram detidas e cinco táxis piratas apreendidos.

Guilherme BritoDo G1 Rio
Estação do trem para chegara ao Corcovado tem grande movimentação de turistas (Foto: Guilherme Brito/ G1)Estação do trem para chegara ao Corcovado tem grande movimentação de turistas (Foto: Guilherme Brito/ G1)
Agentes da Secretaria de Ordem Publica da Prefeitura do Rio (Seop) prenderam, na manhã deste sábado (14), oito pessoas que cobravam R$50 por hora para motoristas estacionarem os carros no entorno da estação de trem que leva até o Cristo Redentor, no Cosme Velho, Zona Sul do Rio. Segundo os agentes, a operação também apreendeu até as 11h cinco táxis que circulavam de forma irregular.
A ação no entorno da estação do trem ocorreu com o apoio da Secretaria Municipal de Transportes do Rio (SMTR). Segundo a Prefeitura, também foram apreendidos produtos falsificados, como camisas do Brasil e adereços em verde e amarelo. Os agentes devem permanecer até o fim do dia fiscalizando a região e encaminhando os detidos para a 10ª DP (Botafogo).
Turistas de várias nacionalidades que chegavam ao local foram tranquilizados pelos agentes, já que, mais cedo, menores de rua teriam tentado furtar pertences como máquinas fotográficas.

"Eu fiquei com medo de tirar foto quando vi eles, mas os meninos saíram correndo quando o esquema começou", disse Melina Gridseth, turista australiana, se referindo a chegada dos agentes da Seop.
Táxi é rebocado após ser flagrado cometendo irregularidade (Foto: Divulga/ Seop)Táxi é rebocado por não usar taxímetro (Foto:
Divulgação/ Seop)
Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, a iniciativa foi realizada nos arredores do Corcovado e na Rodoviária Novo Rio. As pessoas, que foram flagradas cometendo irregularidades, foram levadas para a delegacia. Táxis e vans foram tirados de circulação durante a fiscalização.

O movimento no ponto turístico seguia intenso na estação no fim da manhã. O painel eletrônico da estação Trem do Corcovado informava, às 11h, que o próximo trem disponível para a compra de assentos seria o de 14h. Segundo funcionários da estação, os coletivos saiam de 20 em 20 minutos e a maior parte dos bilhetes estava disponível para compra pela internet.

Turistas argentinos desistiramm de esperar três horas para o próximo trem e resolveram voltar outro dia, com o ingresso já comprado. "Vamos aproveitar esse tempo para ir à praia", disse Armando Gonzalez, administrador.

Entorno do Maracanã
Uma operação de combate à desordem realizada por agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), retirou na manhã deste sábado (14), um painel com uma publicidade irregular na Avenida Maracanã. A estrutura, com 18 metros de altura por sete de largura, foi desmontada pelos funcionários da Prefeitura. A empresa responsável pelo anúncio foi autuada pela Divisão de Publicidade da Coordenação de Licenciamento e Fiscalização.

Pão de Açúcar
Na entrada da estação do Bondinho do Pão de Açúcar, na Urca, Zona Sul, não havia filas para o embarque por volta das 12h. O local tinha a segurança reforçada, com a presença de policiais militares e da Guarda Municipal. Turistas estrangeiros e brasileiros diziam que o passeio ocorria tranquilamente e que o embarque e desembarque do ponto turístico seguia com agilidade nesta manhã.
Argentinos decidem voltar outro dia ao Corcovado para não enfrentar fila (Foto: Guilherme Brito/ G1)Argentinos decidem voltar outro dia ao Corcovado para não enfrentar fila (Foto: Guilherme Brito/ G1)
Agentes da Prefeitura fazem a fiscalização no entorno do ponto turístico (Foto: Guilherme Brito/ G1)Agentes da Prefeitura fazem a fiscalização no entorno do ponto turístico (Foto: Guilherme Brito/ G1)Fonte: G1

terça-feira, 10 de junho de 2014

MORRE EX. GOVERNADOR DO RIO DE JANEIRO.

Ex-governador Marcello Alencar morre no Rio, informam deputados

Político tinha 88 anos e morreu em casa, em São Conrado, Zona Sul.
Ele também foi senador e prefeito do Rio.

Do G1 Rio
  •  
  •  
O governador do Rio de Janeiro, Marcello Alencar (Foto: Beth Santos/Folhapress)Ex-governador do Rio de Janeiro Marcello Alencar (Foto: Beth Santos/Folhapress)
O ex-governador do Rio de Janeiro Marcello Alencar, de 88 anos, morreu na madrugada desta terça-feira (10), como informou o Bom Dia Rio. Segundo informações do deputado federal Otávio Leite (PSDB), Alencar morreu em casa, por volta das 4h20, por complicações de saúde causadas por três acidentes vasculares cerebrais (AVC). Ele morava em São Conrado, na Zona Sul carioca. 
Alencar foi advogado de presos políticos e está entre os oito parlamentares que perderam o mandato entre 1966 e 1969, após o AI5 (Ato Inconstitucional n° 5), que suspendeu garantias constitucionais durante a ditadura militar. Em cerimônias em 2012, ele recebeu simbolicamente o mandato de volta no Senado e na Câmara dos Deputados. 
O político governou o Rio de 1995 a 1999. Durante esse período, inaugurou a Via Light, que liga a capital ao município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Seu governo também ampliou o sistema de Metrô, com estações da Linha 2 até a Pavuna, e privatizou empresas estatais, como o Banco do Estado do Rio de Janeiro (Banerj).
Ele também foi senador pelo antigo estado da Guanabara e prefeito do Rio em duas ocasiões. Num dos mandatos, implantou o Rio-Orla, projeto urbanístico que remodelou os calçadões das avenidas litorâneas com a instalação de ciclovias. Além disso, o ex-governador foi presidente do PSDB do Rio por duas vezes: seu primeiro mandato foi de 1993 a 1995, e o segundo, de 2001 a 2005.
A morte de Alencar foi confirmada pelo deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) e presidente estadual do partido, em sua conta no Facebook. "É com pesar que informo a morte do ex-prefeito do Rio e ex-governador Marcello Alencar, aos 88 anos, na madrugada desta terça-feira. Tinha Marcello Alencar como um honrado e respeitado homem público, além de grande líder. Meus pêsames à família e aos muitos amigos que deixa", escreveu o parlamentar.
Posteriormente, em entrevista ao G1, Rocha lembrou que Alencar era presidente de honra do PSDB e que, mesmo adoentado, sem poder se locomover, mantinha-se lúcido e atuante nas decisões políticias do partido.
"Ele foi uma referência política muito importante, em especial e intensamente para mim, que fui seu vice-governador e secretário de Obras, quando ele foi prefeito. Sempre o visitava para conversar, e ele gostava de se manter atualizado sobre as questões políticas", disse Rocha. Em nota, o PSDB manifestou pesar pelo "falecimento de um de seus mais ilustres representantes".
O velório de Alencar está marcado para as 9h desta quarta-feira (11) no Palácio da Cidade, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, ainda segundo o partido.
Fonte: G1